Fórum Respostas Capitais: David Randon mostra como superar a crise com inovação e boas ideias | Grupo RBS
Banner Interno

Relações com Imprensa

Fórum Respostas Capitais: David Randon mostra como superar a crise com inovação e boas ideias

CEO das Empresas Randon participou de encontro da RBS nesta quinta-feira (29)

Fórum Respostas Capitais. Crédito: Fernando Gomes.

Fórum Respostas Capitais. Crédito: Fernando Gomes.

Atuante em um dos setores mais afetados pela crise – com quedas de mercado que chegaram a 60% –, a Randon tem uma história de trabalho e superação. Hoje, a companhia vive um momento de retomada, refletindo o novo ânimo do polo metalmecânico da serra gaúcha. Para contar as lições dessa trajetória, o Grupo RBS convidou o CEO David Randon para o Fórum Respostas Capitais, realizado na manhã desta quinta-feira (29), em Porto Alegre.

Na entrevista conduzida pela colunista Marta Sfredo, o executivo detalhou o contexto que levou o segmento a uma das piores recessões da história. Segundo Randon, o estímulo às vendas e a ampla oferta de crédito do início da década fez surgir uma bolha.

– Como trabalhamos com bens de capital, fomos atingidos logo no início. No setor de implementos, a queda foi muito grande. Nossa vantagem foi trabalhar também com o setor de reposição, área que não sentiu tanto – contou, destacando que as exportações também ajudaram a empresa a passar pelo período.

Quebrar paradigmas  Auxiliaram na travessia da crise as lições aprendidas em outro episódio de dificuldades: o processo de concordata vivido pela empresa nos anos 1980. De acordo com Randon, é preciso garantir giro de caixa e estimular processos internos de aperfeiçoamento.

– Quando uma empresa cresce e o mercado está muito bem, ela vai agregando coisas que não têm valor ou necessidade e acaba queimando dinheiro. Na hora da crise, é preciso olhar o todo e ver o que não precisa. Esse é o aprendizado: ter mais foco, ver o que existe de desperdícios, reestruturar e quebrar paradigmas.

A inovação também teve um papel importante. O CEO do grupo detalhou o projeto Hélice, idealizado pela Randon e outras três empresas: Florense, Marcopolo e Soprano, todas da Serra. A proposta é desenvolver soluções com startups para necessidades de toda a indústria.

– São novas ideias em recursos humanos, serviços e tudo o que as empresas têm em comum – salientou, adiantando que a segunda fase da iniciativa começa em março de 2019.

Diversidade da economia — Completando sua 18ª edição, o Fórum Respostas Capitais é promovido por Zero Hora. Trata-se de uma extensão da coluna +Economia, com publicação de conteúdos no site GaúchaZH, no jornal impresso e em vídeo.

– Ver quantos empresários já passaram por este palco é uma prova da diversidade da nossa economia e de como essas empresas conseguiram passar por um período tão difícil – pontuou a jornalista.

Desde 2015, o encontro trouxe convidados como José Galló, presidente da Lojas Renner, Ricardo Vontobel, sócio da Neugbauer, Clovis Tramontina, presidente da Tramontina, Nelson Eggers, diretor-presidente da Fruki, Julio Mottin Neto, do Grupo Dimed, entre outros.