Cronista do Pioneiro recebe troféu Açorianos | Grupo RBS
Banner Interno

Relações com Imprensa

Cronista do Pioneiro recebe troféu Açorianos

Marcos Fernando Kirst foi premiado na categoria Criação Literária para Narrativa Longa

Foto_Marcos_Kirst_Credito_Juan Barbosa_RBSO jornalista, escritor e cronista do Pioneiro, Marcos Fernando Kirst, foi um dos agraciados no 21º Prêmio Açorianos de Literatura Adulta e Infantil 2014, entregue na última segunda feira (24) em Porto Alegre. O escritor foi premiado na categoria Criação Literária para Narrativa Longa (textos inéditos), com o romance A Sombra de Clara. Nesta obra, Kirst teve o desafio de escrever em primeira pessoa com a personalidade da protagonista Clara, uma jornalista de 25 anos.

— Demora para cair a ficha, se bem que hoje nem existem mais fichas. Está sendo um longo download — brinca o autor — Havia 51 obras inscritas, e o prêmio chancela um trabalho que vem sendo feito há décadas— completa Marcos.

‘A Sombra de Clara’ é o segundo romance do escritor. A obra foi produzida em 2005 e será publicada pela Editora da Cidade, com lançamento previsto na Feira do Livro de Porto Alegre em 2015.

Sobre o autor

Marcos Fernando Kirst é natural de Ijuí (RS), nascido em 1966 vive em Caxias do Sul desde 1992. Jornalista, formado pela Universidade Federal de Santa Maria, atuou em diversos veículos impressos do interior do Estado como os jornais A Razão (Santa Maria), Diário de Santa Maria, Pioneiro (Caxias do Sul) e outros. É cronista do jornal Pioneiro desde 2009 e, desde março de 2014, escreve diariamente no veículo.

Vencedor de diversos concursos literários em Santa Maria e Caxias do Sul, foi Patrono da Feira do Livro de Caxias do Sul em 2010. Em 2012, teve seu livro de poemas “Em Silêncios” premiado como Obra Literária pelo Concurso Anual Literário da Biblioteca Pública Municipal de Caxias do Sul.

Tem no currículo 15 livros publicados. Entre eles, os ficcionais “Dois Passos Antes da Esquina” (romance), “O Gato Que Não Sabia de Nada” (infanto-juvenil), “Tetraedro” (crônicas) e “Em Silêncios” (poesias). Os demais são obras de resgate histórico e biografias.